quarta-feira, janeiro 17, 2007

Acho o programa Os grandes portugueses um produto televisivo com muita validade. É óbvio que falar de quem fez o quê, levanta sempre a questão do que foi feito. E só isto já me parece muito, cria consciências! No entanto, julgo que não se procura o português sem o qual Portugal não seria o mesmo, até porque seria perigosamente redutor. Procura-se uma referência, uma das âcoras da nossa portugalidade. Quanto aos jovens, eu só gostava que não associassem ao jovem uma espécie de: vamos ver no que vai dar! Acreditar nos outros ajuda muito a que os próprios acreditem neles. Água em azeite.

15 comentários:

Maria de Lourdes Beja disse...

Helder REIS: quando se é professor,acredita-se sempre nos jovens mas nunca se pode deixar de pensar no tal "vamos ver no que vai dar".É para ver "dar" bem que um professor trabalha,pelo menos quanto a mim,com imenso empenho e até amor.Mas creio que este belo programa não foi feito para pensarmos no que vai vir,mas sim no que já veio...

Abílio disse...

AMIGOOOOOO hoje vais dar mais um concerto... que de certeza absoluta vai correr muito bem. E o público vai adorar a actuação e as musicas dos "Polen". Um grande xi

joaninha disse...

Eu acho a iniciativa dos Grandes Portuguesas bastante redutora. Procurar UMA pessoa que assuma a grandeza da nossa portugalidade não faz sentido. A história faz-se de muitas caras, de muitos feitos, de muitas obras - não há ninguém que se possa destacar mais ou menos.

Apesar de tudo, é um formato importado da BBC com algum sucesso junto da população. Pelo menos conseguiu pôr metade da população a falar de história e a argumentar e contra-argumentar sobre a "sua" personalidade preferida.
Nesse sentido, foi uma aposta ganha.

Boa sorte para o concerto de logo, talvez passe por lá...*

joaninha disse...

Eu acho a iniciativa dos Grandes Portuguesas bastante redutora. Procurar UMA pessoa que assuma a grandeza da nossa portugalidade não faz sentido. A história faz-se de muitas caras, de muitos feitos, de muitas obras - não há ninguém que se possa destacar mais ou menos.

Apesar de tudo, é um formato importado da BBC com algum sucesso junto da população. Pelo menos conseguiu pôr metade da população a falar de história e a argumentar e contra-argumentar sobre a "sua" personalidade preferida.
Nesse sentido, foi uma aposta ganha.

Boa sorte para o concerto de logo, talvez passe por lá...*

joaninhadepapel.blog.com

joaninha disse...

Peço desculpa pela repetição do comment. Não foi intencional :(

joaninhadepapel.blog.com

Anónimo disse...

Ora, esta coisa da eleição dos cem grandes portugueses faz de nós todos pequenos portugueses ou, no máximo, portugueses médios ou assim-assim e essa é a maior das injustiças. Grandes portugueses são aqueles que acordam todos os dias às seis da manhã, para tomarem um banho a correr se quiserem ter água quente para dar banho também aos filhos que já nasceram numa maternidade espanhola e que é preciso agasalhar porque estudam numa escola sem aquecimento aonde chegam depois de duas horas num autocarro comprado em segunda-mão a um sucateiro alemão. Grandes portugueses são aqueles que apanham sete autocarros para chegar ao emprego a que nunca faltam apesar dos caprichos dos STCP ou da Carris, tanto faz, e cumprem o horário de entrada mas flexibilizam o de saída e não recebem horas extras porque vivem sob a ameaça de deslocalização da empresa para o extremo-oriente. Grandes portugueses são aqueles que enchem o metro, os comboios e os autocarros no regresso a casa aonde todos os dias fazem o milagre da multiplicação dos pães que dividem pela família antes de tentarem esquecer tudo em frente à televisão que lhes explica que é muito bom ser-se pobrezinho e que os ricos são todos muito infelizes. Grandes portugueses são aqueles que, ao fim de mais um dia destes, têm uma paciência inesgotável para os filhos que sentam no colo, enchem de mimos e educam para também eles poderem ser, um dia, grandes portugueses. "

por Jorge Maia

Texto in Blog de Paredes de Coura

Ana Sofia disse...

Olá Helder!!

Eu considero o programa os Grandes Portugueses uma boa iniciativa para o povo português, aprender um pouco mais sobre as grandes figuras do nosso país...acho que a ideia não é redutora, uma vez que ao aprender-mos tanto sobre essas figuras, sabemos que sem todas elas não existia o Portugal de hoje!! =)

Zé Aníbal disse...

É de facto um bom programa mas demasiado redutor. Influenciada pelos media, pelo meio social, pela formação e até pela cor clubistica, a opinião das pessoa nem sempre se funda em seriedade.
Depois, quem somos nós para escolher um grande português se não conhecemos a fundo muitos deles. Simplesmente atira-se para o ar.
Para mim, o meu pai, a minha mãe, a minha irmã, toda a minha família, todo aquele que se levanta todos os dias para trabalhar, para cuidar duma família, por vezes em grandes dificuldades, também esses são grandes portugueses. Ouvi alguém no programa dizer, que grande português devia ser alguém que fez algo pelo mundo. Pois digo a esse senhor, que grande português é alguém que faz algo pelo seu mundo, por aqueles que o rodeiam, nem que seja apenas através duma palavra amiga que ajuda alguém a viver mais feliz. Isso sim é ser grande.

Anónimo disse...

Oi Helder!
Hoje estás em Vila Flor, aqui perto! Quando vieres para estes lados avisa! Bom concerto para logo noite!
Forte abraço
Jose Mirandela
josealexx3@hotmail.com

Anónimo disse...

olá!!espero que hoje seja mais um momento fantastico dos Polen!!
bjs
Patrícia

Juan Carlos disse...

Suerte hoy en el concierto de Los Polem, estoy muy lejossssssss, suerte

Anónimo disse...

Ois Helder! ainda não tinha passado por cá (atolhada em papéis e números pra variar)! Sabes em certas ocasiões associa-se os jovens a uma espécie de vamos ver no que vai dar, talvez porque os próprios jovens tomem uma atitude perante a vida de "vamos ver o que é que dá" - talvez a sociedade hoje tome essa atitude... falta de responsabilidade? talvez, quem sabe... Mas continuo a acreditar que os jovens são o futuro!(e confio que as coisas mudem).
Break a leg, logo! ;)
Isa Peixoto

Abilio Rodrigues - Madeira disse...

Claro que os jovens são o futuro.
Claríssimo que nesse futuro serão velhos.
lol

PhilStudio disse...

Caro Hélder,
se alguém diz "vamos ver no que vai dar", não será já uma forma de acreditar nos jovens?
É que a maior parte das vezes, nem sequer isso acontece...
Fica bem.
Aquele abraço.

Ana Margarida disse...

Olá!!
É bom acreditar que os jovens serão o futuro, esperando que este seja bom...
Aproveito para dizer que gosto muito de o ver em todos os seus trabalhos e espero que continue sempre a ser assim...

boa sorte para todos os seus projectos!!!