segunda-feira, abril 01, 2013

GOSTO DE ANÓNIMOS


Ora Viva

Sou apresentador de televisão há 10 anos. Já percorri o país inteiro, ilhas inteiras. Diariamente! Por semana entrevisto dezenas de pessoas, geralmente anónimas, extraordinárias. Tanta gente que no peso do anonimato, porque ao ser-se figura pública tem-se uma vida mais leve em muita coisa, faz tanto por um mundo que é constantemente melhor e não sabemos por mão de quem…eu sei, graças aos anónimos, que fazem, dão, lutam, perdoam, inventam, recriam-se, e voltam a dar. Sem fotografias ou capas de jornais. O retorno? Muitas vezes é essencialmente o bem comum. Não sou um homem muito dado ao social, ao glamour, reconheço. Mas sou um homem dado a gente que faz das tripas coração para levar a vida para a frente, e ou vai ou racha. Quanto mais conheço esta gente que a maioria dos portugueses ignora e eu tenho o privilégio de entrevistar, mais me fascino pelas pessoas que não têm exposição pública. São porque são, fazem porque fazem! Gente valente e brava. Amanhã, talvez, entrevisto-o a si, que me está a ler! Quem sabe…terei essa sorte!

Hélder Reis

6 comentários:

disse...

É nessa Gente Valente e Brava que reside a verdadeira essência do Ser humano.

Parabéns pela beleza das suas palavras e pela sua essência.

Beijos de uma "anónima".

O;D

Anónimo disse...

Há momentos em que somos obrigados a saltar para a escrita.
Não sei se o vai ou racha resulta sempre, por isso, e para cada oportunidade, prefiro ter constantemente os pés no chão.
Prefiro o vai e o vai outra vez, como que por tentativas.
E mesmo que o amanhã passe, e o talvez volte, a vontade continua enorme..
Mesmo desanimado, não gosto de me queixar.. prefiro sentir e viver! ..prefiro sonhar e imaginar...
“sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade” (Elmer Letterman)
Um abraço forte deste anónimo :)
A82

Cláudia Costa disse...

Eu sou do tempo de quando uma pessoa simples, de nome Hélder Reis, era assistente da "Praça da Alegria". Todas as manhãs, de avental branco à volta da cintura, servia cafés e hoje como apresentador nem por isso deixou de ser a pessoa que sempre foi.
É um felizardo por poder conhecer toda essa gente, apelidada de "anónimos", que muitas vezes tudo faz em prol de uma sociedade melhor. São, justamente, os simples que nos dão as verdadeiras lições de vida.

disse...

Saudades de ler as suas bonitas palavras. O;(

Beijinhos cheios de saudades.

O;D

Sónia disse...

Domingo vou ser eu a entrevistada :)))

Loubet disse...

:)

Um sorriso para si, Helder.

Maria