domingo, fevereiro 17, 2013

Fim do dia

Ora viva

Quando o dia termina, olho para o princípio... e avalio. Geralmente aquilo que fiz, a quantidade, depois a qualidade, e por fim o que não devia ter feito.

Hoje. Acaba o dia e sinto que não fiz nada. Dormi. Muito. Não gosto de dormir, amuo ao ir para a cama. Mas preciso de dormir e não vale a pena muita história. Mas a verdade é que não fiz nada. Não li, não observei, não escrevi. Nada.

Apesar deste nada, a vida continua a sua ordem natural de afazeres. A noite vem, o dia vai, o vento marca presença, a chuva dá o seu ar de graça, ou desgraça, a respiração toca o compasso. Tudo anda, menos eu. Perdi um dia e nada. Nem dei nada ao mundo, nem deixei que o mundo me desse nada. Caramba, isto não pode voltar a acontecer. A não ser que o próximo domingo seja de chuva e vento... Lá está...vou cair no mesmo. Ou não!

Abraços

Hélder


11 comentários:

Alexandre Evaristo disse...

Nada? E esta bela reflexão em dia de chuva? ;-)

disse...

MENTIRA!

O dia ainda não terminou... as palavras partilhadas fizeram do teu nada, MUITO. No próximo domingo podes voltar a não fazer nada. Eu agradeço esse teu "NADA".

O;DDD

Margarida disse...

Eu acho que mesmo nos dias de chuva o sol lá dá um jeito de espreitar para nos saudar!
È sensacional levantar cedinho e mesmo com chuva poder ver os dias agora crescer com mais luz!

Margarida

Lara Rocha disse...

Também não gosto de dormir...e à noite fico sempre triste. Só durmo porque tem de ser! Podes fazer-me companhia nas tuas noites, quando não quiseres dormir :D
Beijos

Cláudia Costa disse...

Com o "nada" também se aprende, essencialmente, a valorizar o que fazemos que, sendo pouco ou nada, é o nosso "tudo" na vida. O segredo é, mesmo, amor e dedicação e, acima de tudo, simplicidade de coração.

Lara Rocha disse...

Há dias assim, Hélder, mas embora aches que não fizeste nada...fizeste muito, acredita! Quem gosta de ti, e das tuas reportagens, vê-te com alegria, vê o amor pelo que fazes, a doçura que és...vê o teu sorriso :) que é sempre bonito...ouve-te...és companhia e consolo para muita gente...e mostras o nosso lindo Portugal! É uma grande tarefa. Eu também não gosto de dormir, e também amuo, mas lá tem de ser...também tenho dias que parece que não fiz nada, mas fiz uma série de pequenas coisas...e pensares, e respirares...já estás a fazer alguma coisa. Estamos sempre a fazer alguma coisa :D Bjs L.R.

disse...

Esta noite deixo-te um beijo docinho para embalar o teu sono.

(...) "A noite vem, o dia vai..." gosto quando escreves assim.

Boa noite.

O;D

Anónimo disse...

Há momentos em que somos obrigados a saltar para a escrita (mesmo não conseguindo aceder ao link correto :)
Não sei se o vai ou racha resulta sempre, por isso, e para cada oportunidade, prefiro ter constantemente os pés no chão.
Prefiro o vai e o vai outra vez, como que por tentativas.
E mesmo que o amanhã passe, e o talvez volte, a vontade continua enorme..
Mesmo desanimado, não gosto de me queixar.. prefiro sentir e viver! ..prefiro sonhar e imaginar...
“sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade” (Elmer Letterman)
Um abraço forte deste anónimo :)
A82

Sónia disse...

Acontece-me muitas vezes o mesmo...Mas neste caso acabaste por fazer, escreveste :)

Anónimo disse...

Será um pouco tarde para comentar? É que, estamos quase em Setembro, mas eu, quase todos os dias, analiso como foi o meu dia e, a maior parte das vezes, fico desiludida comigo mesma. De certeza que nesse dia, devo ter pensado "Bem, daqui a três dias eu entro na categoria dos 'entas'!", ou seja 40, para tristeza minha. Mas continuando, o que mais interessa é termos feito algo que valha a pena, com qualidade. É que a quantidade só vale a pena se "prestar", caso contrário, é lixo. Também dou o dia um pouco por perdido se não pegar num livro, ainda que seja para ler duas folhas, ouvir um pouco de música (na minha selecção musical, tenho uma ou duas músicas tuas, que eu adoro!) Quanto a escrever, não passo um só dia que não dedique uma linha, ou até mesmo, uma ou duas folhas. E, no fim, é como tu dizes, apesar do "nada", tudo continua, a vida não acaba ali. Vem a noite, para refletirmos, e dormir também, e um novo dia!!! Nada se perde, pois se olharmos bem, existe sempre algo, que, por muito insignificante que nos pareça, vale sempre alguma coisa, ainda que pequena. Acho que isto acontece a muitos dos comuns dos mortais. Mas não desanimes, pois em Domingos de vento e chuva, também eu gosto de ficar em casa, ainda que agarrada a um livro e ao meu MP3, a ouvi-la a cair (mas atenção, se adormeço, CUIDADO)!!! PS: Adorei a tua avaliação diária!!!!!!! Abraços

Jose Santos disse...

Há dias assim. Eu ontem tive um dia assim. Não descansei. Hibernei.