quarta-feira, junho 25, 2014

Hoje

Ora viva

Hoje vi a D. Maria, nos seus 90 anos, sair de casa e olhar para a praia. Uma necessidade de quem tem uma vida inteira naquela rua, naquela casa, naquele sítio virado para o mar. Esta concentrada na sua observação, atenta aos pormenores de uma praia que em pouco mudou. Estaria a respirar profundamente. Os olhos enchiam-se da serenidade do fim de tarde.

A vida é mesmo assim. Os sítios que amamos, a casa, a nossa rua, e enchermo-nos com o que nos faz bem. Num fim do dia, são vários os atentados à nossa convicta serenidade, precisamos de lutar contra o vazio que nos querem meter. A nossa vidas será sempre nossa, por muito que nos tentem tirar. À D. Maria ninguém lhe roubou o mar nem a enorme vontade de o ver. Assim nos inspiremos.

Abraço

2 comentários:

Manuel Vale Guimarães disse...

Hélder
Mais um belo escrito com que nos brindas ! Como compreendo a D. Maria ao contemplar o Mar. Mesmo quando ele está mais revolto ao contemplá-lo na minha praia de eleição - São Jacinto - ele dá-me força e alento para viver.
Obrigado por teres partilhado o momento que viveste.
Abraço amigo.

Lara Rocha disse...

Que lindo. Poético e sereno :) transmite PAZ.