terça-feira, maio 27, 2014

Saúde



Ora viva

Os hospitais ou são lugares de saúde ou de doença. Os hospitais são sítios de avaliação. Do corpo. Da alma. Ir ao hospital, por motivo do nosso corpo, ou do corpo de alguém que amamos, é um motivo de constatação simples: sem corpo somos muito pouco. Traduzido em linguagem mais simples, sem saúde não vamos a lado nenhum. E no corpo todos somos iguais, fisiologicamente falando. Numa maca de hospital, não há ricos nem pobres, há pessoas à espera da cura. Simples não é?

Gosto de terminar as minhas entrevistas desejando saúde ao meu convidado, a quem me vê. Pensei que não era uma expressão que fosse muito tida em conta, até repetidamente me dizerem que gostam de me ouvir dar votos de saúde. Em bom da verdade de que mais precisamos nesta curta vida? Podemos ser muito ricos, ser muito pobres, com saúde podemos recomeçar, lutar, desistir, mudar, ser melhor, ou ser pior; mas sem saúde nada feito, sem a dita senhora não vamos a lado nenhum. O triste é darmos por ela, pela sua infinita importância, quando não a temos. A maior ambição da minha vida? Ter saúde. O resto, tudo o resto eu conquisto.

até amanhã
Hélder

12 comentários:

Manuel Vale Guimarães disse...

Hélder
Uma vez mais excelente texto este sobre a " saúde " ! Na verdade, sem ela. . . pouco ou nada poderemos fazer.

Abraço amigo caro Hélder

ClaudiaS17 disse...

Bom Dia Hélder,

Concordo plenamente contigo, até porque por motivos pessoais nos últimos anos tenho visto a saúde a "fugir" a muitos dos que me são queridos. Por isso, também sou apologista de que a Saúde é o bem mais precioso que temos, porque o resto vem por acréscimo.
E é doloroso ver pessoas que amamos e que sempre foram muitos fortes e lutadoras, serem derrubadas com a falta ou o decréscimo do nível de saúde.
Beijinhos Grandes,
Cláudia Silva

ClaudiaS17 disse...

Bom Dia, Hélder!

Concordo plenamente contigo, porque nos últimos tenho visto a saúde a "fugir" de algumas das pessoas que me são próximas.
Por isso, também sou apologista de que a Saúde é o Bem mais precioso que temos, pois o resto vem por acréscimo. Agora sem saúde não há mesmo volta a dar.
E é doloroso vermos aqueles que amamos e que sempre foram pessoas fortes e lutadoras serem derrubados pela falta ou pelo decréscimo do nível de saúde.
Beijinhos Grandes,
Cláudia Silva

Cidchen disse...

Verdade, verdadinha. Sem saúde não há nada.

Anónimo disse...

A vida è preciosa....bjhossss. Daniela

Anónimo disse...

Boa noite e um abraço porque teu carinho è agradavèl Spotify :
http://open.spotify.com/track/54tJZTIDcMN3mZnSmjnfbh
Écoutes bien.....bjhos...bisous de moi Dani

Anónimo disse...

Helder queres energia boa, positiva então mando te essa tà .....beijinhossssss fofos Daniela (:-0) kiss ...Regardez cette vidéo sur YouTube :

http://youtu.be/8aXSEMVJW7I

Sónia disse...

Bem verdade!!

Saúde Hélder :)

Anónimo disse...

Un bonjour et te souhaiter une belle journée .....como tu estàs lendo por aqui e es tu que décidé de publicar ou não e como não è para ser publicado .....escrevi por aqui assim as pessoas não falam ......melhor para eu e tu. (:-0)))) Regardez cette vidéo sur YouTube : a escutar e relaxar..... Bisous de moi Daniela de Paris

http://youtu.be/zRCsZ5a3aCM

Anónimo disse...

Abraço e lindo dia .....ascolta ....Regardez cette vidéo sur YouTube :

http://youtu.be/bDXntu73gNo
Bjhosssss Daniela

Lara Rocha disse...

Os hospitais são sítios de vida e de fim, de saúde e de doença, de alegria e de sofrimento. Quem passa lá muito tempo, não guarda boas memórias, a não ser quando se trata de renascer, ou nascer...de vida! Às vezes lá...vemos vidas por um fio...e tornam-se vidas exemplares, renascem. É melhor ter vida fora de hospitais, com mais ou menos abalos!

Lara Rocha disse...

Os hospitais são sítios de vida e de fim, de saúde e de doença, de alegria e de sofrimento. Quem passa lá muito tempo, não guarda boas memórias, a não ser quando se trata de renascer, ou nascer...de vida! Às vezes lá...vemos vidas por um fio...e tornam-se vidas exemplares, renascem. É melhor ter vida fora de hospitais, com mais ou menos abalos!