terça-feira, outubro 15, 2013

ARRUMAR O ARMÁRIO

Ora Viva

Este texto começou com uma arrumação da roupa de Verão, é… acho que acabou mesmo! Quantas vezes dizem a expressão: E se… ?! Para mim é uma frase terrível, sem exagero. A teoria dos “e se” é destrutiva. Castra a decisão no presente e gera-nos uma agonia no futuro, quando olhamos para o passado. 

Eu sou um homem ponderado, não entro nada na onda do Carpe diem. Para mim é uma quase treta. Claro que é ótimo viver intensamente o presente, mas sem a consequência do futuro? É como não acreditar nos sonhos, nos projetos, nas relações. Pois se eu vivo intensamente o agora, como se não houvesse o futuro, é dizer que tudo o que é plano não faz sentido. Não acham? Não há nada como viver o momento a ponderar o futuro. Um sem o outro é coisa estranha.


Voltando ao “E se…”, para mim é sinal de passado mal resolvido e medo do futuro. Pior que uma dúvida no presente, é uma dúvida no futuro sobre o passado. E se…nada. É preciso fazer de cabeça para a frente, ou não fazer de cabeça igualmente a direito. Não dar grande tempo à terrível dúvida que nos pode entorpecer. É claro que, como em tudo, esta regra não a cumpro a direito, mas dou-lhe poucas curvas. Ter, orgulhosamente, o passado arrumado em gavetas é ter uma casa com cada coisa no sítio certo. E há lá melhor sabor que um lugar arrumado?

Abraço
Hélder

12 comentários:

Loubet disse...

Não, não há. Asseguro-lhe. Nada como a casa, as gavetas, os armários, mas sobretudo, o passado arrumado! :)

Maria

Loubet disse...

Não, não há. Asseguro-lhe. Nada como a casa, as gavetas, os armários, mas sobretudo, o passado arrumado! :)

Maria

Loubet disse...

Não, não há. Asseguro-lhe. Nada como a casa, as gavetas, os armários, mas sobretudo, o passado arrumado! :)

Maria

Loubet disse...

Não, não há. Asseguro-lhe. Nada como a casa, as gavetas, os armários, mas sobretudo, o passado arrumado! :)

Maria

Danie disse...

O que possou dizer ......en français c est d'écouter le lien qui suit seulement : http://www.youtube.com/watch?v=e7je95XY1YY&sns=em Je te souhaite une douce nuit et un bon réveil (:-0)))) bisous de moi Daniela

Denise disse...

Perfeito!!! Tambêm penso assim,nada como uma casa com cada coisa no sítio certo...;)))

Anónimo disse...

Bem, há muito que tento arrumar um... passado que teima em não desaparecer. Por muito que tente, ele é como o... azeite, vem sempre à tona (da água). É certo que, assim que esquecer esse passado, muita coisa vai desaparecer, muitos acontecimentos marcantes da minha vida, mas é preciso limpar os "E ses..." existentes na minha vida. E pronto, é como tu dizes, não há nada como ter uma "casa" bem arrumada. E quando olho para o meu passado não sinto agonia, mas penso que hoje teria feito as coisas de outra maneira, mas já não há volta a dar. O que lá vai lá vai...

Jose Santos disse...

É uma boa perspectiva, nunca tinha pensado nisso.
Mas acho que o Carpe Diem se aplica para quem fica perdido no passado ou sonhando com o que pode acontecer no futuro e se esquece de viver... intensamente... no presente!

O passado já passou, o futuro é incerto. O que temos é mesmo o presente.

Eu este ano só vou arrumar a minha roupa de Verão lá para o final de Novembro pois vou passar uns dias à Malásia e a Singapura onde o Verão é constante!!

Abraço!


Denise disse...

Olá!!! Tb penso assim como você...;)))) um abraço e desejos de muito sucesso.

Anónimo disse...

Se existem expressões que me guiam é exatamente o “e se...”
Como poderíamos nós puxar pela imaginação sem a expressão “e se...”? como poderíamos fazer coisas novas, ser criativos, como poderíamos ultrapassar obstáculos sem essa pergunta? Como poderíamos ter ideias e criar os nossos próprios conceitos e conhecimento? Como nos poderíamos testar a nós próprios, sem a palavra “desafios”? e se eu tentasse, e se eu fizesse, e se eu conseguisse? E se eu não conseguisse? Provavelmente iria ter a outro sitio, que não o mesmo... e isso será sempre dar um passo em frente..
O que teriam feito os nossos heróis dos descobrimentos sem essa expressão?
É verdade que ninguém pode ter certeza do que aí vem.. mas é importante ter a vontade de o saber... de abrir a alma a novos estímulos e experiências. Mesmo hoje, em dia de regresso ao nosso Portugal para umas curtas férias, continuo a questionar-me “ e se...”
Para mim, é expressão de viver, de crescer.
Não subo escadas por subir. Pergunto-me antes se as quero subir. Não subo por subir. Não faço por fazer.
Quanto ao passado, também gosto de o ter arrumado, embora nem sempre o faça. Às vezes prefiro andar distraído com o futuro. Não será isso que nos faz mover?
Forte abraço. A82

Helena disse...

Acho que sim, temos que viver o presente mas ponderando o futuro, para mim também estão ligados. Beijinhos Helder

Helena disse...

O presente está ligado com o futuro, concordo !!!