domingo, agosto 18, 2013

AS PALAVRAS

Ora Viva



Usamo-las abreviadas, gastas, novas, erradas e certas, na verdade e na mentira. Usamo-las de dia, à tarde e à noite. Entre silêncio e conversas. Na casa, na cama, no escritório, na rua, no telefone e no papel. As palavras.
Gosto tanto das palavras, dos seus contornos no papel. Do atrevimento de as usar. Da inquietação pelas novas e pelas do antigamente. A palavra, para mim, ainda é um poder, um saber, um amor perdido e achado numa frase que me faz parar. A palavra é um compromisso, uma missão, um segredo e um desejo. Coisa séria de se fazer. De se dizer. Mesmo que as palavras que agora dizes se amanhã forem mentira, que tenhas a ousadia de novas usar para dizer que estavas a enganar. Por isso as palavras serão sempre grandes. De heróis. De gente de mar e amor.
A palavra pode construir e destruir, tudo e nada, todos e só alguns. Tenho profundo respeito pela palavra. Pela honra. Pelo casamento que ela nos liga na união que é a conversa. Mesmo quando as uso para dizer que errei.

Gosto das palavras, até quando não as uso para dizer tudo o queria.

Fiquem muito bem!

7 comentários:

Lara Rocha disse...

É uma grande verdade, Hélder! As palavras podem mesmo construir e destruir...dão-se a interpretações correctas, e a falsas. Mas também servem para tornar pessoas felizes, por momentos, ou infelizes para sempre! Servem para construir e destruir sonhos, desejos...medos...servem para libertar os sentimentos presos nos corações e nas gargantas...o pior e o melhor é que elas ficam lá pousadas, gravadas...e às vezes vem à tona. Também adoro palavras.

Fernanda Nito disse...

Grande texto...
As palavras que escrevemos, as que nos escrevem são sem dúvida um meio de podermos atingir o impossível...
Beijo :)

Denise disse...

Muito lindoooo ,adoro a tua escrita,parabéns,beijinhos

Anónimo disse...

Usamo-las na verdade e na mentira. fazemos questão de as usar, as certas e as erradas. Mas não me orgulho disso, mesmo que as troque de vez em quando. Se posso usar as certas, porque procuro as erradas?
Porque não procuro o risco das palavras como coragem e ousadia?
Porque é que quando as escrevemos na verdade, as dizemos na mentira?
Não haverá forma de as dizer e escrever com um mesmo sentido?
E não falo de monólogos.
Eu sei... Tanta pergunta em tão pouco espaço… é uma das vantagens da junção das palavras.
Mas se não são usadas, não o deveriam ser? não posso gostar das palavras se não as disse.. se não as vivi..
Como diria, Chris Martin, “ What if ”…
A82

disse...

"Gosto tanto de palavras, dos seus contornos no papel."

São estas, sem dúvida, as minhas palavras preferidas. Gosto, de as imprimir, na folha branca de papel, com a emoção do momento. De desenhar as linhas que as sustentam e que lhes conferem o ritmo da conversa. E, de saber, que à parte do que guardam do si, são palavras que conhecem quem as escreve.

agradeço as tuas palavras escritas.

beijos escritos.

O;D

disse...

"Gosto tanto de palavras, dos seus contornos no papel."

São estas, sem dúvida, as minhas palavras preferidas. Gosto, de as imprimir, na folha branca de papel, com a emoção do momento. De desenhar as linhas que as sustentam e que lhes conferem o ritmo da conversa. E, de saber, que à parte do que guardam do si, são palavras que conhecem quem as escreve.

agradeço as tuas palavras escritas.

beijos escritos.

O;D

Anónimo disse...

Também eu gosto das palavras. Aliás, adoro escrever, por isso, uso-as frequentemente. não gosto de usá-las abreviadas (até mesmo numa SMS), e não acho que existem palavras "gastas". Mas faz-me confusão as novas palavras. Parece... que não fazem sentido, são estranhas. Ah., mas não tenho medo de as usar. Acho que é no silêncio que mais se usam (ainda que sejam "mudas") pois, por vezes, "um olhar diz tudo!" Uma palavra no papel, voa, ganha vida, uma nova forma, e é onde podemos dar largas à nossa imaginação e encontrarmos o tal amor perdido. É no papel que mais as uso. Adoro as palavras escritas com letra de escola primária, toda redondinha, mas também gosto de outros tipos de letras. Existem muitas palavras, e frases, que me fazem parar e sorrir. Mas há outras que me ferem e me fazem chorar, como quando alguém diz "Dou-te a minha palavra de honra.", quando não existe honra para dar. Para mim, os segredos são para ficar bem fechados e não para ficarem à solta, como as palavras. Bem, vou acabar por aqui, mas não sem antes te dizer que adorei todas as tuas palavras, aliás, como já é normal. OBRIGADO!!!!!!!