segunda-feira, dezembro 15, 2008

Lar de 3a idade

Ora Viva, obrigado a quem vai passando.
Hoje fiz uma reportagem num lar de 3a idade. Já alguma vez visitaram uma destas casas?
É uma experiência inexplicável. Com a vontade de conseguir um bom testemunho, perguntei a uma residente que memórias tinha do Natal, respondeu que não quer falar dessas memórias, na esperança de alimentar conversa, mudei de tempo e perguntei pelo Natal no presente, respondeu-me com lágrimas nos olhos: olhe... - e encolheu os ombros.
Tirei algumas conclusões: a primeira é que as perguntas não me correram nada bem, e a 2a é que há memórias que o tempo tem que apagar, porque simplesmente a recordação não traz felicidade.
Conheço grande parte dos lares deste país, digo-o com propriedade; nem me atrevo a questionar as irrepreensíveis estruturas físicas e humanas, mas o facto é que são espaços onde a memória dos que nelas habitam vai, tranquilamente, desaparecendo. Recordar a felicidade também dói.
E acredito sempre em finais felizes...
Até já.
Hélder

5 comentários:

Carlota disse...

Bom, Helder nem sei o que dizer... ler um post assim faz-nos pensar: - como será quando já não conseguirmos desenrrascar-nos sozinhos, na velhice??
A minha avó sempre me disse: - Porem-me num lar jamais! Apenas no Centro de Dia para dar umas lérias, mas dormir só na minha caminha em casa! :)
Existem recordações que nos marcam, sejam bons ou maus momentos, mas que nestas alturas sentimos mais!

Bom Natal!
Beijinho

Sandra Maia disse...

Eu vi essa tua reportagem, como todas as outras e como todos os dias que não perco a Praça...
Confesso que também me vieram as lágrimas aos olhos, porque se há uma população que respeito imenso (se não mais) é a terceira idade. É uma idade magnífica, aprendemos imenso com eles e é sobretudo com os seus testemunhos que tiramos lições de vida incríveis!
Todos nós temos recordações que não queremos viver de novo ou simplesmente nem pensar nelas e como a Carlota disse é nestas épocas que mais nos recordamos do passado e até do futuro!
Espero que tenhas um Natal muito bom, rodeado de quem mais amas porque isso é o mais importante acima de tudo! Mas também te desejo prendinhas, nem que seja um abraço ou um beijo, um sorriso, um gesto e muitos chocolates ;-) se não tiveres que chegue eu mando-te dos daqui!
Como não posso estar contigo para te dar um presente, aqui te deixo o meu :

" Deixa tudo junto a ti
os sonhos perto da almofada
os beijos debaixo da língua
o olhar dentro dos cabelos
o sorriso colado à vontade
as cócegas junto aos pés
o amor fora das caixas
vá, deixa tudo pronto
como se fosse agora a tua viagem... "


BRANCO ♡

PÓLEN, eternamente ♥
Xi-grande e muitos beijinhos*
Já escrevi demais!!

Maria Moreira disse...

Olá.
Não vi a reportagem, mas é uma realidade que uns conhecem e tentam dar um bocadinho da sua ajuda para melhorar, ou simmplesmente fazem de conta que não existe.


Há uns tempos vi-o cantar, e gostei. Mas pensei que fosse só por acaso, uma "brincadeira". Há uns dias a Sandra Maia é que em conversa me falou da banda e não resisti e vim logo procurar à net coisas sobre, e descobri este blog, e umas músicas no youtube.
(Nem sei como é que só agora dei conta disso.)
Gostei muito do trabalho. Continuem.

Um beijinho Hélder.
Gosto do teu trabalho ;)
Continua *

Cidchen disse...

Os velhinhos são qualquer coisa de especiais. Sentem as coisas profundamente. E sim, há recordações que deviamos mesmo tirar da nossa memória porque só nos trazem tristeza.

Um FELIZ NATAL para ti, Hélder.

Beijinhos *

SA disse...

AS saudades apertam... :)