quarta-feira, agosto 01, 2007

Verão

Olá...obrigado pelas mensagens!!!!!!

E cá está o Verão. Tenho estado a fazer a Praça da Alegria em estúdio, o que me tem propiciado (entre muitas outras coisas, claro) o convivio com a avó! Nunca conheci os meus avós, portanto nunca me deram os biscoitos, o lanche da avó, e aquele colo que tem a força de uma vida com história.

Eu gosto das avós, dessa figura encantadora, que nos remete para os óculos na ponta do nariz, para a experiência, a sabedoria que o tempo dá, e para os novos avós, os da net, das viagens, do segundo emprego...da determinação e da serenidade do saber esperar!

Por isso irrita-me a negligência para com estes jovens com história. Não vimos deles e não caminhamos para ser como eles? Não é esta vida uma espécie de ciclo?

Há dias conheci a avó Candida, doce senhora de 90 anos, com a vida cheia nos olhos e a justiça no coração. Mulher de armas nobres, como se a vida lhe fosse filha. Tomei-a quase como a minha avó. A que não tive e que cada vez mais me convenço que precisei de ter.

Até já. Bom Verão

10 comentários:

VIda disse...

olá!! é smp um prazer ver-te na praça(ou em outro lado qualquer).
eu perdi a minha avó a pouco tempo e como ela me faz falta!!pena que nem todos tratem bem os "avós"
um grande beijinho!

p.s. e os polen quando actuam pelo porto/gaia!!!já fez um ano .. .

http://divagandovida.blogs.sapo.pt/

Cidchen disse...

Impressionante: Ler este teu post no dia em que a minha avó (que infelizmente já não está cá) fazia anos. Faz-me imensa falta. Era um doce de pessoa...
Continuação de boa semana, Hélder!
Bjinhos
Cidália

giragirassol disse...

Amigo, só tu para saberes reconhecer o valor das pessoas. Também para mim os avós são personagens curiosos, dos mais tradicionais aos mais modernos, e porque o nosso trabalho nos faz conhecer d eperto histórias muito curiosas, acabamos por nos deixar quase adoptar por ambos.
Passei dos melhores verões da minha infância com os meus avôs e é com uma saudade terna que os recordo quase todos os dias.
O meu único lamento em relação aos 3 ávós que já não tenho é eles não terem conhecido o Salvador. Acho seria amor mútuo ao primeiro olhar.
Beijo e bom trabalho Hélder...

inês leal disse...

gosto muito de ti, Hélder.

AD disse...

vou voar até à saleta do meu avô e puxar-lhe aquele narizinho... os efeitos de leitura do teu blog :) Parabéns e força para a próxima manhã de trabalho.

Anónimo disse...

Tiempo sin pasar por aqui por causa del trabajo.

No he podido ver la Plaza por la misma razon, y una de las partes que mas me gustaba era la seccion de la avo, alli aprendi mucho sobre Portugal, como era y como es.

Todos los dias narran la historia de Portugal.

La proxima quarta que es feriado religioso, no trabajo y vere la plaza

Saludos a todo ese gran programa, a la Banda, por supuesto a susanita , que mande su foto para venezuela pues tiene una doble alla, no me creian pero quedaron asombrados

Perdonen por escribir en Castellano, prometo cuando tenga tiempo hacer un curso de lengua portuguesa, esta en mis planes

Juan Carlos

Sandra Maia disse...

adorei o texto e concordo absolutamente contigo quando dizes que há muita negligência para com estes jovens!



beijãO*

adorei ver-te lá no musical :)
é sempre bom estar contigo! foi pouco tempo mas gostei muito!

Anónimo disse...

Olá Helder!!!

Gostei muito de ler este post.

Eu felizmente ainda tenho avós:)e GOSTO MUITO DELES!!!

Beijinhos

flavia reis disse...

ola helder gosto mt da forma como tu falas do amor por uns avos k nunca conheces-te e lindo todo o amor k demonstras pelas pessoas.
eu tambem nunca conheci os meus avos e cada vez mais sinto a falta de alguem k nunca conheci mas k deve ser um dos grandes amores k podemos sentir.
uma beijoka adoro-te tal como es, meigo, doce e espectacular acima de tudo.
todos os dias vejo a praca da alegria atraves da rtpi. adoro-vos
flavia

Sónia disse...

Olá Hélder,

Tenho vindo a ler os teus posts, já que só á pouco tempo é que conheci este blog fantástico, não tenho deixado comentários em todos, porque senão ficava muito chata, e também não tenho jeito para escrever. :-)Decidi deixar neste, para dizer que também já não tenho avós e só conheci a avó paterna, mas eu era muito pequena, não tenho grandes recordações.

beijinhos, Sónia