segunda-feira, fevereiro 15, 2016

INVEJA

Ora viva


Constatei que a felicidade cria inveja. Se a felicidade do outro não interferir na minha, tudo bem, mas se toca na minha alegria, eis que se torna um problema. Medíocres. Sermos medianos na capacidade de ser feliz, corta-nos as asas de um universo construtivo. Quanto mais saudável e feliz o mundo for, mas eu serei também. O sucesso dos meus colegas de trabalho, será o meu. A realização dos meus amigos no amor, será a minha. A prosperidade do negócio do meu vizinho será a minha prosperidade. 
O mundo não é a minha circunstância. 

Eu acredito na boa vontade, nos bons valores, no dar que recebe, no recebe que dá. Eu incluo-me nos invejosos. Mais tarde ou mais cedo… Odeio a inveja. Amo a felicidade. Mas a verdade é que tenho tropeçado em muitos invejosos. Ainda estou a pensar se os contorno, na indiferença; ou se passo por cima, para ver as vistas!

abraço

2 comentários:

Mónica disse...

Passa por cima!
Contudo, há aquela inveja que pode ser boa, aquela que nos deixa felizes com a felicidade dos outros. Eu defino inveja boa como aquele momento em que tu ficas a pensar: "Queria tanto que me acontecesse a mim... mas estou plenamente feliz por ter sido a esta pessoa, ela merece mais que ninguém!" A vida tem-me mostrado, das mais variadas formas, que nada é por acaso. Neste momento, estando desempregada, agarro-me a uma ideia de um projeto, agarro-me com unhas e dentes e sei, sei que vou chegar onde quero, mas vai doer e demorar. Também sei que muitos que me olham se perguntam: "Como é que alguém na situação dela continua a sorrir e a ser feliz?" Porque sou verdadeiramente feliz e luto por ser feliz... e isso faz confusão em muita mente desprovida de conhecimento.
Beijinhos,
Festinhas à Fibby.
Mónica

Joana disse...

Boa noite Hélder. Um enorme prazer apreciar os seus textos e escrita. Lindo, profundo e sentido. Um beijinho e continue assim